Aqui vão algumas curiosidades comprovadas em guerra sobre atiradores de elite, ou no popular os Snipers.

Realmente são feitos que deixariam qualquer pessoa de boca aberta e incrédula sobre o ocorrido, fico imaginando quanto desses detalhes curiosos não existem no meio de tanta guerra.

10 –  Thomas Plunkett

Foi um soldado irlandês dos Rifles britânicos 95º. O que faz dele um dos grandes atiradores, é o fato de ter atirado em um impressionante general francês, Auguste-Marie-François Colbert.

Durante a batalha de Cacabelos, na retirada dos Monroes na guerra da península ibérica em 1809, Plunkett, usando um rifle Baker, acertou o general francês a distância de 600 metros. Considerando a imprecisão do rifle no começo do século 19, isso foi uma façanha impressionante, ou muita sorte. Plunkett não queria que os seus companheiros achassem que foi sorte, decidiu atirar de novo, então ele recarregou a arma, e mirou, dessa vez no trombeteiro que foi ajudar o general. Quando esse tiro também acertou o seu alvo, provando que Plunkett é realmente um atirador incrível, ele olhou para traz e viu a face impressionada de seus companheiros.

Só para comparação, esses homens eram treinados para acertar pessoas a 50 metros com essa arma, esses dois tiros foram 12 vezes mais distantes que isso.

 

09 – Sargento Grace 4º infantaria da Georgia

Dia 9 de maio de 1864, quando o sargento Grace, um sniper da confederação acertou um tiro considerado incrível para a época, e também com certeza a morte mais irônica na historia.

Foi durante a batalha de Spotsylvania, na guerra civil americana (ou guerra de secessão)  quando Grace mirou com o seu rifle britânico Whitworth. Seu alvo era o general John Sedgwick (imagem ao lado) a distancia de 1000 yars (914,4 m).

Um Tiro extremamente difícil para a época, durante o começo da batalha os atiradores da confederação causaram os soldados de Segwick a ficarem abaixados. Segwick se negou a se abaixar, e dizia as seguintes frases

 

“O que? Homens se abaixando desse jeito por algumas balas? O que farão quando todos estiverem atirando? Eu estou envergonhado de vocês, eles não acertariam um elefante dessa distância.”

Seus homens permaneceram abaixados e ele repetiu. “Eles não acertariam elefantes dessa distancia” segundos depois Grace acertou um tiro logo abaixo do seu olho esquerdo, Sedgwick foi a morte de rank mais alto em toda a guerra civil.

Lt. General Ulysses S. Grant perguntou repetidamente “ele realmente está morto?”.

 

08 – Charles ‘Chuck’ Mawhinney 1949

103 mortes confirmadas.

 

Foi um exímio caçador na infância e se alistou na marinha em 1967. Serviu durante a guerra do Vietnã, e mantém o recorde de mortes confirmadas pelos atiradores de elite da marinha, passando o recorde do lendário Carlos Hathcock.

Em apenas 16 meses ele matou 103 inimigos e mais 216 mortes que foram listados como “mortes prováveis” pela marinha, pois seria muito arriscado alcançar os corpos para confirmar a morte.

Quando saiu da marinha ele não contou para ninguém sobre as suas façanhas, e somente alguns soldados sabiam sobre elas. Foram quase 20 anos depois que escreveram um livro sobre os seus méritos.

Uma vez, ele disse “Foi a melhor caçada de todas: um homem caçando um outro homem que o estava caçando, não me conte sobre leões ou elefantes, eles não lutam com rifles e miras, eu era apaixonado.” Um tiro rotineiro dos Snipers era entre 300 e 800 yards(274m ~ 730m), em quanto ele teve mortes confirmadas acima de 1000 yards (914m), fazendo dele o melhor sniper na guerra do Vietnã.

 

7 – Rob Furlong

Em quanto fazia parte das forças canadenses, ele alcançou o recorde de morte confirmada de maior alcance, a 1,51 milhas ou 2,430 metros.

Esse fato histórico aconteceu em 2002 quando ele estava envolvido na operação anaconda, quando 3 homens da Al-Qaeda foram forçados a entrar em um território montanhoso, ele ajustou a sua mira, Furlong estava armado com o seu rifle McMillan Brothers de 50 calibres e a carregou com uma munição A-MAX de baixo atrito.

Primeiro ele atirou e errou. Seu segundo tiro acertou na pochete do indivíduo e  ele já tinha disparado o seu terceiro tiro quando perceberam a sua presença (o tempo de viajem da bala era de 3 segundos, devido à grande distância) mas já era tarde, o tiro acertou o no peito. 

06 – Vasily Zaytsev March

Zaytsev provavelmente é o sniper mais conhecido da história graças ao filme “círculo de fogo”.

Foi um ótimo filme, e gostaria de poder dizer que foi tudo verdade. No entanto a verdade só se estende até a batalha de Stalingrad.

Na realidade não aviam nazistas anti-snipers e ele se voluntariou para ir para a linha de frente da batalha de Stalingrad, depois ele iniciou o movimento de treinamento de snipers no 62º exercito.

É estimado que seus alunos tenham matado um total de 3000 soldados inimigos, Zaytsev teve 242 mortes confirmadas entre Outubro de 1942 a janeiro de 1943, mas o numero real provavelmente foi em torno de 500.

A pesar de não terem anti-snipers, realmente existiu Erwin Kónig, e Zaytsev mais tarde em vida, disse que o duelo durou três dias nas ruínas de Stalingrad.

Ninguém sabe ao certo o que aconteceu durante os três dias, mas no final  Erwin estava morto. E tudo que o atirador queria era a sua mira como troféu.

05 –  Lyudmila Pavlichenko

309 mortes confirmadas.

Em junho de 1941, Pavlichenko tinha 24 anos de idade quando os Nazistas começaram a invadir a união soviética.

Ela estava entre as primeiras a se alistarem, pedindo para se juntar a infantaria, de la ela se tornou uma das 2000 snipers soviéticas, seus dois primeiros kills aconteceram perto de Belyayevka com um rifle Mosin-Nagant com uma mira 4-power.

A primeira ação que ela viu de verdade foi no conflito de Odessa onde passou dois meses e meio e matou 187 inimigos. Quando foram forçados a realocar para Sevastopol na península da Crimeia, onde passaram 8 meses.

La ela matou mais 257 e por essa realização ela recebeu uma posição no concelho militar.Durante toda a segunda guerra mundial ela matou 309, sendo 36, Snipers inimigos.

 

04 – Corporal Francis Pegahmagabow378 mortes confirmadas, 300+ capturas.

três vezes consagrado com a medalha militar e seriamente ferido duas vezes, ele era um atirador especialista, com o mérito de ter matado 378 alemães e capturado mais de 300.

Se ter matado quase 400 inimigos não fosse o suficiente, ele ganhou medalhas por ter levado mensagens a través de alto fogo inimigo, por dirigir uma missão fundamental, quando o seu comandante estava incapacitado, e por correr sob fogo inimigo para pegar mais munição quando a sua unidade estava ficando sem.  

A pesar de ser um herói entre os seus companheiros, ele foi esquecido depois de voltar para o Canada, sua terra natal, mas ainda um dos Snipers mais eficientes da primeira guerra mundial.

03 – Adelbert F. Waldron

109 mortes confirmadas

Ele mantém o recorde de mortes de qualquer soldado no exército Americano. Porém não é pelo número que ele se destaca, mas sim por sua precisão impressionante. Para descrever tal habilidade o Coronel Micahel Lee Lanning conta a história..

“uma tarde estávamos em um barco tango no rio Mekong, quando um sniper inimigo na margem começou a atirar. Em quanto todos começaram a procurar o inimigo que estava na margem, a mais de 900 metros, o sargento Waldron mirou e com um tiro acertou o vietcong com apenas um tiro que estava em cima de um coqueiro (isso de uma plataforma móvel). Tamanha era a sua capacidade como um sniper”. Se existisse uma escala de dificuldade para esse tipo de tiro, esse estaria próximo ao impossível.

 

02 – Carlos Norman Hathcock II

Apelido ´Long Trung du kich´(white feather sniper)

93 mortes confirmadas

Hathcock tem um dos recordes de missões mais impressionantes em toda a corporação da marinha.

Vamos esquecer as dezenas de campeonatos vencidos, durante a guerra, o exército do Vietnã colocou uma recompensa por sua morte de $30000 USD, recompensas na época tinham uma média de $8 USD de valor.

Foi Hathcock que acertou o tiro mais famoso na história de todos os Snipers, ele atirou um projétil que atravessou o escopo da mira inimiga de uma grande distancia e o acertou no olho.

Hathcock e Roland Burke estavam rastreando um sniper inimigo que já tinha matado vários outros soldados americanos e eles acreditavam que na verdade estava ali pela recompensa. Quando Hathcock viu um reflexo de luz do escopo inimigo ele atirou em frações de segundos, acertando o tiro mais preciso na história.

Hathcock disse que para que isso fosse possível, eles tinham que estar mirando um ao outro ao mesmo tempo, e que considerando o tempo de voo da bala, foi essa fração de segundos que não fez com que os dois tivessem se matado.

Tenha em mente que ele se ofereceu para essa missão, mas tinha que rastejar por 1500 yards (1371,6 metros) de território inimigo para matar um general comandante do NVA (Northern Vietnã Army).

Levou 4 dias e 3 noites sem dormir rastejando centímetro por centímetro, um soldado inimigo quase pisou nele em quando estava camuflado na grama alta, e uma víbora quase o mordeu, mas ele permaneceu imóvel. Quando finalmente chegou na posição adequada, esperou a oportunidade, o general chegou ele estava pronto.

Ele atirou uma vez e acertou o general pelo peito o matando. Os soldados inimigos começaram uma busca, e Hathcock começou a rastejar de voltar.

Ele nunca foi capturado e sim ele tem nervos de aço.

 

01 – Simo HäyhäApelido ´A morte branca´

705 mortes confirmadas (505 com rifles, 200 com submetralhadoras)

Foi um soldado que usando um rifle sem mira teve o maior número de mortes que qualquer soldado em qualquer exército.

Hayha nasceu em um município chamado Rautjarvi, onde hoje em dia é a fronteira entre a Rússia e a Finlândia, e começou a servir em 1925.

Participou da “winter war” (guerra do inverno) (1939 – 1940) entre a Rússia e a Finlândia. Durante o conflito Hayha aguentou o frio intenso de ate -40 graus célsius.

Em menos de 100 dias ele matou mais de 505 mortes confirmadas, 542 se contarmos as que não foram confirmadas, no entanto a linha da frente coloca esse número em meados de 800, alem das mortes por sniper, ele também matou 200 homens com uma metralhadora Suomi KP/31, passando de 705 mortes confirmadas.

Hayha fez isso em quando estava parcialmente enterrado na neve e praticamente sozinho por 3 meses, claro que quando os russos perceberam que tantos soldados estavam sendo mortos, que aquilo era guerra, haveriam casualidades, mas quando o general descobriu que todas aquelas mortes tinham sido causadas por apenas um sniper, sua primeira ação foi mandar um anti-sniper, quando o corpo dele voltou, ele mandou um grupo de anti-snipers, quando nem um dos corpos voltou, ele mandou um batalhão.

Eles perderam vários homens e não conseguiram encontra-lo. Eventualmente eles ordenaram um ataque da artilharia, mas não tiveram sucesso. Hayha era inteligente, e essa era a sua área da floresta ele se vestiu completamente de branco, para se camuflar na neve, ele usou um rifle menor para se adequar ao seu corpo pequeno (1m e 60cm) e aumentava a sua exatidão.

Ele também usava a própria mira do rifle, pois se usasse um escopo teria que levantar a sua cabeça para olhar por ele. Ele apertava a neve na frente do cano da arma, para que quando atirasse a neve não se espalhasse e revelasse a sua posição. Alem de tudo isso ele mantinha neve na sua boca, para esfriar o ar antes que saísse, assim o ar não condensava e não tinha aquele efeito de fumaça quando o ar saia de sua boca, também para não revelar aonde estava.

Porem eventualmente ele foi acertado na mandíbula por uma bala perdida no dia 6 de março de 1940. Ele foi carregado por um soldado aliado que disse que metade se sua cabeça estava destruída, mesmo assim ele sobreviveu e retomou a sua coincidência no dia 13 do mesmo mês, no dia em que a paz foi declarada.

Mais uma vez, 505 por Snipers + 200 submetralhadora = 705 mortes confirmadas. Tudo em menos de 100 dias.