Depois de muita especulação e idas e vindas da adaptação de A Torre Negra, a obra máxima de Stephen King, acaba de encontrar os seus protagonistas. Idris Elba (Thor, LutherBeasts of no Nation) e Matthew McConaughey (Clube de Compras Dallas) são confirmados, respectivamente, como Roland Deschain, o Pistoleiro, e Walter Padick, também conhecido como o Homem de Preto (que também atende pelo nome de Randall Flagg, e muitos outros).

Idris Elba e Matthew McConaughey
Idris Elba e Matthew McConaughey

E o diretor Nikolaj Arcel, comentou a contratações de Idris Elba para o papel principal:

“Ele é um homem tão formidável… Eu tive que ir até Idris e lhe contar a minha visão para toda a viagem com Roland e o ka-tet. Discutimos, quem é esse personagem? O que ele trata? Qual é a sua missão? Qual é sua psicologia? Nós tentamos descobrir se vimos o mesmo cara. E absolutamente tivemos as mesmas ideias e pensamentos. Ele tinha uma visão única para quem Roland seria”.

Sobre Matthew McConaughey:

“Matthew é um ator incrível que pode fazer qualquer coisa. Assim é como me sinto sobre Walter Padick. Ele podia fazer qualquer coisa… Ele é um feiticeiro atemporal, e sendo um fã de Stephen King, que eu li e experimentei Walter em várias iterações. Ele tem uma maneira muito interessante de ver o mundo. Ele o vê com uma espécie de prazer, mesmo que ele esteja, obviamente, do lado errado do espectro de luz e escuridão. Ele é alguém que eu tenho tido muita diversão”.

E os atores já começaram a brincadeira de gato e rato protagonizada pelos personagens no livro:

“@McConaughey você tem um novo seguidor”.

“@idriselba venha e me pegue, eu vejo adiante”.

Ainda sobre o filme, Stephen King confirmou que o longa começará no meio da trama do romance, mas irá abranger toda a história que os fãs tem amado ao longo dos anos. Enquanto isso, Arcel mencionou que as filmagens estão programadas para começar em menos de dois meses na África do Sul, com o objetivo de estrear em 13 de janeiro de 2017. É um prazo apertado para o lançamento, mas Arcel dá a entender que parece ter as mãos firmes sobre o projeto. E falando como um fã, como ele disse ser, Arcel comentou sobre o porquê de achar “A Torre Negra” a obra essencial de Stephen King, falando sobre o que lhe atrai na obra do escritor:

“O que Stephen King faz de melhor é misturar o cotidiano, ou o que você poderia chamar de mundano, com o fantástico… A meu ver, os romances [de A Torre Negra] são uma mistura entre ficção científica e fantasia e os tempos modernos. Essa mistura exata é tão Stephen King”.

The Dark Tower
O verdadeiro Roland Deschain, o Pistoleiro, diante da Torre Negra

Como um fã de A Torre Negra, apesar de achar Idris Elba um excelente ator, eu nunca gostei da ideia de vê-lo interpretando Roland Deschain, que foi concebido por King como um homem branco, de profundos olhos azuis (totalmente inspirado em Clint Eastwood). Quem leu a obra sabe o quanto essas características são importantes na trama, principalmente com a entrada Odetta Holmes, uma das importantes personagens da saga.

Odetta é uma negra deficiente física, ativista do movimento pelos direitos civis dos negros em 1960, que possui uma dupla identidade que atende pelo nome de Detta Walker. Odetta é filha de um rico dentista famoso por suas invenções, tendo tido uma educação fina e requintada, enquanto Detta é rebelde, sádica, cleptomaníaca e extremamente incomodada com questões de etnia, acreditando que todos partem de julgamentos racistas contra sua pessoa, e Roland é o principal alvo da língua afiada e suja, e dos atos inconsequentes de Detta.

Assim, como seguir com essa trama uma vez que Roland será negro? Se mudaram a etnia do Pistoleiro, vão mudar também a cor da pele da Dama das Sombras, como Odetta é chamada durante o livro “A Escolha dos Três”? Ou esquecerão completamente a questão racial no filme?

Talvez leve algum tempo para que essas perguntas sejam respondidas. Até lá, vamos aguardar por mais informações.

Ron Howard produz o filme, enquanto Akiva Goldsman e Jeff Pinkner cuidam do roteiro.

A Torre Negra mistura ficção científica, fantasia e terror numa narrativa que forma um verdadeiro mosaico da cultura popular contemporânea, cujo enredo mostra a jornada do pistoleiro Roland Deschain, último de uma linhagem de pistoleiros e a última esperança da humanidade, até a misteriosa torre do título. Considerada a magnum opus do escritor, levou trinta e três anos para ser concluída – de 1970 a 2003 – e em 2010 havia alcançado a marca de 30 milhões de exemplares vendidos. A saga é inspirada no universo imaginário de J.R.R. Tolkien, no poema épico do século XIX “Childe Roland à Torre Negra Chegou” escrito por Robert Browning, e repleta de referências à cultura pop, às Lendas Arturianas e ao faroeste.