A estreia de “Bingo: O Rei das Manhãs”, nos coloca em um impasse maravilhoso diante do cenário da produção cinematográfica nacional: Qual o melhor filme brasileiro de 2017? Porque vamos combinar, as estreias deste segundo semestre, estão explodindo as expectativas de modo muito positivo.

O longa de estreia de Daniel Rezende, conhecido e reconhecido montador de filmes, como Cidade de Deus, Ensaio sobre a cegueira, Tropa de Elite, A árvore da Vida, Narradores de Javé, sinaliza quem é ele como diretor, já que o montador é aquele que, “constrói” a alma do filme.

Segundo Daniel Rezende, ele veio aprendendo durante sua trajetória, com os grandes diretores com quem trabalhou e decidiu entregar o seu filme nas mãos do Marcio Hashimoto, que realiza uma montagem invisível com ritmo e dinâmica. A cena do personagem com o filho, num passeio por uma praia em seu Ford Maverick, me remeteu a uma das grandes sequencias do cinema nacional, no filme “Os Cafajestes” de Ruy Guerra.

O filme é um retrato da cultura pop brasileira dos anos 80 e narra a história de Arlindo Barreto, ator frustrado, que trabalhou em pornochanchadas e algumas novelas. Quando surge a oportunidade de atuar como o Palhaço Bozo – uma franquia americana exibida no canal do SBT – ele entende como uma oportunidade de desenvolver seu trabalho com dignidade.

Arlindo se esforça, constrói uma personalidade brasileira para o palhaço, conquista seu lugar e reconhecimento que lhe rendem o prêmio de melhor apresentador de programa infantil. Devido a uma cláusula de anonimato no contrato, Arlindo se vê condenado ao ostracismo e se entrega a vida louca da fama e suas armadilhas. A fotografia de Lula Carvalho está lá e exerce um papel essencial nesta odisseia.

O roteiro de Luiz Bolognesi, faz um recorte da vida do ator, construindo o universo onde este protagonista nos revela suas camadas e escolhas contraditórias.

O trabalho e esforço “orgânico” na atuação de Vladimir Brichta, é de uma entrega única e nos conduz pela terra às entranhas do inferno pessoal do personagem, sem qualquer pudor. No elenco também grandes nomes como Leandra Leal, Ana Lúcia Torre, Augusto Madeira, Emanuelle Araújo (como Gretchen, a única personagem com nome próprio), o saudoso Domingos Montagner, entre outros.

“Bingo: O Rei das Manhãs” é um filme profundo, corajoso e emocionante, é cinema brasileiro!