O que há em comum entre Orson Welles, Charles Chaplin e Sylvester Stallone? Simples. São artistas. São os únicos da história de Hollywood a serem indicados nas categorias de melhor ator e roteirista numa mesma edição do Oscar. O diretor, roteirista e ator Sylvester Gardenzio Stallone está completando 69 anos hoje. Para mim foi um prazer inestimável organizar essa postagem por ser FÃ INCONTESTÁVEL do astro. Compartilho com você, caro leitor, minha singela homenagem ao eterno Garanhão Italiano.

ROCKY, UM LUTADOR (ROCKY, 1976)

Simplesmente genial. Um dos maiores personagens da história do cinema e, sem dúvida, uma das maiores franquias já feitas. Quem nunca assistiu ao menos a um filme da série? A saga do “Garanhão Italiano” Rocky Balboa confunde-se com a do seu criador. Stallone escreveu o roteiro de Rocky em três dias e meio, após ter assistido à lendária luta entre Muhammad Ali e Chuck Wepner na TV. Na época Stallone passava por dificuldades financeiras. Mesmo assim recusou diversas ofertas pelo roteiro, exigindo como condição que ele próprio interpretasse o papel principal. O filme foi indicado em dez categorias do Oscar no ano de 1976, levando a estatueta de Melhor Filme. Da direção (John G. Avildsen de Karatê Kid) passando pelo elenco e a trilha sonora magistralmente conduzida por Bill Conti, Rocky – Um Lutador é cinema de primeira linha.

Rocky

F. I. S. T. (1978)

Filme pouco conhecido de Sly aqui no Brasil. Johnny Kovak (Stallone) é um operário idealista que passa a integrar o Sindicato Interestadual de Caminhoneiros onde enfrenta uma série de dilemas morais na medida em que se torna líder do movimento sindical. Com direção de Norman Jewinson (Hurricane – O Furacão, No Calor da Noite) é mais um filme onde Sly demonstra sua versatilidade.

FIST

FUGA PARA A VITÓRIA (VICTORY, 1981)

Imagine um time de futebol com as lendas Pelé, Bobby Moore, Osvaldo Ardiles e, como goleiro, Stallone. O roteiro original do filme era baseado na história verídica ocorrida na 2ª Guerra, onde soldados aliados, prisioneiros de guerra, foram desafiados por soldados alemães para uma partida de futebol.

Victory

RAMBO – PROGRAMADO PARA MATAR (FIRST BLOOD, 1983)

Um dos maiores filmes anti-guerra já feitos por Hollywood. Stallone interpreta o soldado da Guerra do Vietnã, John Rambo que se vê discriminado e acuado em seu próprio país. Um verdadeiro clássico! Nunca é demais revê-lo e prestem atenção à seqüência final. Stallone prova o quanto passa longe de ser um mero estereótipo de filmes de ação.

Rambo

STALLONE COBRA (COBRA, 1986)

“Você é uma doença e eu sou a cura.” Uma das frases mais clássicas da história do cinema. Quem nunca a repetiu? O Tenente Marion ‘Cobra’ Cobretti (Stallone) com certeza foi o mentor do Capitão Nascimento.

Cobra

FALCÃO – O CAMPEÃO DOS CAMPEÕES (OVER THE TOP, 1987)

Clássico absoluto da Sessão da Tarde é um dos filmes mais singelos do astro. O caminhoneiro Lincoln Falcão tem dois objetivos: recuperar o tempo perdido com seu filho mimado e conquistar o campeonato nacional de queda de braço. Um filme simplório, porém marcante.

Falcão

CONDENAÇÃO BRUTAL (LOCK UP, 1989)

Dirigido por John Flynn (Fúria Mortal, A Outra Face da Violência) o filme conta a história do injustiçado Frank Leone (Stallone). Faltando poucos meses para ganhar sua liberdade, Leone é transferido para uma prisão de segurança máxima dirigida pelo linha dura Warden Drumgoole (o sempre eficiente Donald Sutherland). Na nova penitenciária, Leone viverá o inferno nas mãos do diretor. A seqüência da cadeira elétrica é memorável.

Condenação

TANGO E CASH – OS VINGADORES (TANGO E CASH, 1989)

Pelo título, algum desavisado pode achar que se trata de dois egressos do time de super-heróis Marvel. Ray Tango (Stallone) e Gabriel Cash (Kurt Russel, impagável) são detetives que se metem num caso armado por um chefão do crime e tem suas carreiras destruídas após serem presos. Na prisão terão que unir forças para fugirem e resgatarem suas vidas. Atenção para a frase de Yves Perret (Jack Palance, numa atuação que deixaria Renato Aragão orgulhoso): “Tango e Cash. Cash e Tango. Quando não é o Tango, é o Cash. Quando não é o Cash, é Tango.”

Tango

A TABERNA DO DIABO (PARADISE ALLEY, 1978)

Marca a estréia de Stallone na direção. A história se passa na Nova York dos anos 40 e acompanha a saga dos irmãos Carboni. Stallone já demonstrava talento na direção de dramas. O filme conta ainda com o ator Armand Assante em grande forma.

Taberna

COP LAND (1997)

Uma das melhores interpretações de Sly. Freddy Hefin (Stallone) vive um xerife frustrado de um vilarejo habitado por vários policiais. Com o passar do tempo, Hefin descobre que o pacato vilarejo esconde uma teia de corrupção e assassinato envolvendo os policiais. Dirigido por James Mangold (Os Indomáveis, Garota, Interrompida) o elenco ainda conta com Robert De Niro, Harvey Keitel, Ray Liotta e Robert Patrick.

Cop Land

OS MERCENÁRIOS 2 (THE EXPENDABLES 2, 2012)

Stallone realizou o sonho de uma geração ao reunir no mesmo filme as lendas Arnold Schwarzenegger, Chuck Norris, Jean-Claude Van Damme, Bruce Willis e Dolph Lundgren. Precisa dizer mais alguma coisa?

Mercenários

Algumas curiosidades:

Superman: O Filme (1978)

Até hoje não se sabe se Sly recusou o papel ou se foi apenas cotado para o papel do herói.

Um Tira da Pesada (1984)

Após ter conseguido o papel, Stallone sugeriu algumas mudanças no roteiro tirando as cenas cômicas e trocando pela ação. O projeto foi alterado e o papel principal acabou sendo de Eddie Murphy.

Duro de Matar (1988)

Stallone recusou o papel principal do policial duro na queda interpretado por Bruce Willis.

Uma Linda Mulher (1990)

Stallone recusou o papel do empresário que se apaixona por uma garota de programa.